Existe coisa mais estressante do que tentar se livrar do stress?

Em qualquer busca que se faz sobre saúde, felicidade no trabalho e etc, está lá, o stress e as chamadas de “se livre do stress”, “acabe com o stress”. Será que é o melhor caminho para lidar com esse cara?

O stress é um vendedor porta-a-porta daqueles oportunistas. Ele aparece todo dia apertando campainhas assim que vê uma brecha.

Ele te vê ali, passando pelo quintal ou pela rua, no transito, no trabalho e até na fila do cinema e pronto, é a chance dele.

Mas, e se eu te disser que ao invés de “se livrar” do stress você tem uma oportunidade muito melhor se usar ele?

Pesquisas já mostraram que, tentar se livrar do stress pode ser mais estressante do que reconhecer, entender e aprender com ele.

É muito mais produtivo surfar uma onda do que dar de frente com ela esperando que ela recue.

O stress é um componente natural, evolutivo e importante do ser humano.

Assim como outras emoções e reações consideradas negativas, como o medo ou a ansiedade, o stress é confundido como algo ruim.

Mas na verdade é parte de mecanismos de sobrevivência que são ativados quando nos sentimos ameaçados de alguma forma (física, psicológica, social, etc…). O stress foi um dos responsáveis por nos manter vivos até hoje, acredita nisso?

Então, se ele é uma ferramenta nossa, por que não usar a nosso favor?

Vamos começar: aqui vão algumas das melhores sugestões que encontrei segundo a ciência e (a minha própria) prática.

1- Reconheça quem é que está batendo

É importante começar pelo começo: reconhecer a emoção, o stress batendo na porta, esse é o primeiro passo.

Nós sentimos no corpo o sinal de nossas emoções, tanto positivas quanto negativas. Podemos sentir o corpo aquecer, suor nas mãos, no rosto, tensão muscular, pernas inquietas e por aí vai. Logo em seguida é na mente que os efeitos acontecem.

Nesse processo é importante sacar qual é o sentimento, reconhecer e aceitar que ele está lá. Aí sim, sabemos que uma de nossas ferramentas está na nossa mão.

2- Escolha com que lentes vai olhar

Depois que reconhecemos que o stress pintou, nós podemos decidir como vamos tratar ele.

Já temos estudos que mostram que, dependendo da forma que encaramos as nossas emoções, os resultados afetam diretamente nossa saúde e longevidade.

Quer dizer, se eu enxergo esse acontecimento como uma oportunidade, como algo natural, como algo que é chato mas que posso trabalhar, o resultado tende a ser bem melhor do que sair xingando e brigado com o stress loucamente. (Isso não soa bom nem no exemplo, né?).

Se você treinar olhar para a situação com curiosidade em aprender algo ou de alguma forma ser produtivo dentro dessa situação, vai de forma óbvia tirar muito mais vantagem do que se usar o fácil e curto caminho do “se exaltar”.

3- Analise atentamente o que o stress quer te dizer

Agora que você já escolheu se relacionar e não repelir o stress, é hora de saber o que ele tem a dizer.

Geralmente, quando entramos em uma situação estressante isso significa que algo está fora do lugar: nossos valores podem não estar sendo preenchidos, nossa zona de conforto ou linha de limite foi afetada, nossos objetivos foram prejudicados, cutucaram necessidades básicas nossas…

O que foi que o stress quis te dizer nessa situação especificamente?

4- Use o stress estrategicamente e de propósito

Reconhecer, ter uma atitude positiva e escutar o stress não significa virar melhor amigo para cultivar ele.

Significa que você pode usar estrategicamente essa ferramenta que surge de você para você mesmo, te preparando para encarar alguma coisa que te ameaça ou preocupa de alguma forma.

Se é uma situação que precisa ser melhorada, você já pode saber por onde começar.

Se é desconhecida, você sabe como se preparar melhor para o desconhecido.

Se é sobre algum sentimento, emoção ou valor, você pode ganhar autoconhecimento de presente.

Use as situações que surgirem de forma estratégica.

Respeite a si mesmo e sua forma genuína de lidar com o stress

Cada um de nós encontra com o stress e as emoções negativas, os encara e os sente de forma genuína.

Por exemplo: homens e mulheres lidam de formas diferentes com o stress, segundo as pesquisas científicas. Imagina então dentro da individualidade de nossas experiências, educação e valores.

O legal é que, independente disso, essas 4 sugestões acima podem funcionar para todos nós, são como um “start” para começar a perder menos tempo reclamando com o stress e mais tempo aprendendo com ele.

Afinal, a escolha é nossa em nos enroscarmos com a reclamação ou seguirmos o caminho do sucesso com a produtividade.

Com pesquisas em: Happify, Harvard Business Review, Lifehack;